Acadêmicos de Pedagogia da Fetac prestigiam evento com o poeta Emanuel Marinho

Categoria | Mar 10, 2017

A Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Caarapó – Fetac se fez presente, no último dia 23, por meio das acadêmicas do Curso de Pedagogia do 1º e 3º semestre, do evento intitulado “Um poeta na cidade”, com o Emanuel Marinho.

 

O evento que aconteceu no Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (Simted), contou ainda com a presença das professoras Dalva Bezerra da Silva e Vânia Vieira Lopes.

 

“Emanuel Marinho um dos grandes nomes da poesia Sul-mato-grossense, encantou a todos com uma belíssima apresentação em um belíssimo recital, organizado pela Secretaria Municipal de Educação do município, com poesias que destacam os elementos simples da vida, como um “andar de bicicleta” e as riquezas de detalhes dos animais pantaneiros.  Como diz o poeta as palavras “voaram” durante toda a noite trazendo encantamento a todo o público presente no evento”, informou Vânia Vieira Lopes.

 

“Não poderíamos perder essa oportunidade cultural. Momentos como esses oportunizam uma aula diferenciada, aula de poesia, aula sobre a vida, que enriquece a formação d@ acadêmic@”, ressalvou Vânia.

 

A professora disse ainda que além das belas declamações de poesias, foi oportunizado aos presentes no evento, um momento de interação pelo poeta, assim, aproveitando à ocasião a acadêmica do primeiro semestre do curso de Pedagogia Beatriz Castilho Defende, juntamente com Cristina Castilho Defende, sua mãe, encantou a todos com a música “Rosa” de Nelson Rodrigues.

 

“A formação acadêmica do Pedagogo não se encerra apenas no espaço da sala de aula, mas sim na vivência de experiências enriquecedoras, transcendendo os limites técnicos e teóricos da profissão. Sua participação em eventos dessa natureza contribui significativamente para que este profissional desenvolva um olhar diferenciado sobre o “ser professor” uma vez que, como diz Afonso Romano de Sant’Anna "A poesia sensibiliza qualquer ser humano. É a fala da alma, do sentimento. E precisa ser cultivada", e, principalmente apreciada”, encerrou Vânia Vieira Lopes